CANTINHO MÁGICO DA TATÁ

Centro de Estudos Budistas Botisatva (CEBB)
Viamão, RS

Tatá nos buscou com a intenção de dar um uso à parte de baixo de sua casa, localizada no Centro de Estudos Budistas Bodisatva (CEBB), em Viamão. Sua casa acabara de ser construída e ela já almejava expandir as possibilidades do espaço. No momento, essa parte inferior estava sendo utilizada como garagem e espaço para a caixa d´água, mas o espaço é amplo o suficiente para abrigar essas funções e outras demandas da Tatá. E essas demandas são bem variadas! Desde um espaço livre para prática de yoga e danças circulares, até espaços mais reclusos para atendimentos terapêuticos e a cozinha, tão importante para o feitios dos deliciosos Refrins! Ah, é também um espaço que pode abrigar seus convidados, jurumbyas e guaranis, a pernoitarem no espaço.

As principais escolhas sustentáveis para esse projeto foram na escolha dos materiais de parede/piso e de bioclimática, já que a estrutura, cobertura e saneamento já estavam prontas. Para as paredes, optamos por diferentes técnicas, afim de possibilitar certa rapidez ao mesmo tempo em que priorizamos a construção com terra. Para as paredes norte e oeste, com maior incidência solar, optamos pelo pau a pique, cordwood e pedra, devido à sua ótima massa térmica (capacidade de reter o calor). Na parede sul, que dá para a garagem e é bastante sombreada, optamos pela parede de madeira com isolamento térmico, para o calor se manter no ambiente interno.
Talvez a maior diferencial desse projeto, em relação às tecnologias sustentáveis, seja a parede trombe. Ela está localizada na cozinha, na face noroeste, logo atrás de onde os Refrins são armazenados no processo de fermentação. A parede trombe consiste em uma parede de pedra (ou outro material com boa inércia térmica) pintada de cor escura protegida externamente por uma camada de vidro e separada por uma pequena câmara de ar. A parede tem a função de captar e acumular energia proveniente da radiação solar. Utilizando aberturas inferiores e superiores nas paredes, aceleram-se as trocas térmicas por convecção e atende à necessidade de aquecimento diurna. No verão é necessário sombrear a parede trombe e ventilar a câmara de ar que separa o vidro para minimizar o superaquecimento.